Doenças de retina

Simulação da imagem com descolamento de retina

A retina é uma das estruturas que compõe a parte posterior do olho e é responsável por transformar a imagem em mensagem para o cérebro. Para melhor compreensão, nós podemos dizer que os olhos são como uma câmera fotográfica e a retina pode ser comparada ao filme fotográfico. É ela que capta a imagem, registra e decodifica para enviar ao cérebro.

Tratando-se da retina, há enfermidades que acometem este órgão e prejudicam a visão, sendo as principais:

Retinopatia diabética

O que é?

O diabetes é uma doença que pode afetar os vasos sanguíneos da retina e, com isso, desencadear o acúmulo de um material anormal nesses vasos, dificultando a passagem do sangue e deformando esses mesmos vasos (microaneurismas).

A retinopatia diabética ocorre quando esses microaneurismas se rompem ou extravasam e liberam gordura na retina, causando a perda parcial ou total da visão, podendo ser exsudativa ou proliferativa.

  • Retinopatia Diabética Exsudativa: Quando a retina é afetada pela hemorragia e pelas gorduras, prejudicando a visão.
  • Retinopatia Diabética Proliferativa: Os vasos sanguíneos prejudicados se multiplicam e produzem novos vasos (neovasos) que também podem provocar diferentes graus de danos à retina e prejudicar a visão.

Causas

Diabetes Mellitus.

Tratamento

  • Controlar o diabetes por meio das orientações do endocrinologista.
  • Fotocoagulação por raio laser: o procedimento cauteriza alguns vasos para evitar a hemorragia.

Prevenção

  • Consultar regularmente o oftalmologista para a realização de exames de rotina;
  • Controlar o diabetes;
  • Alimentar-se corretamente.

Grupos de risco

  • Diabéticos

Edema macular diabético

O que é?

Consequência da retinopatia diabética, o edema macular diabético é o inchaço que ocorre na mácula devido à alta taxa de glicemia do paciente. Como a mácula é responsável pela visão central e assimilação das cores, o edema bloqueia a visão, podendo em alguns casos desencadear a cegueira.

Causas

Retinopatia diabética.

Tratamento

  • Controlar o diabetes por meio das orientações do endocrinologista.
  • Tratamento via intraocular: Consiste na aplicação de medicamentos intraoculares que tratam diretamente o edema.
  • Fotocoagulação por raio laser: o procedimento cauteriza alguns vasos para evitar a hemorragia.

Prevenção

  • Consultar regularmente o oftalmologista para a realização de exames de rotina;
  • Controlar o diabetes;
  • Alimentar-se corretamente;
  • Seguir orientações do endocrinologista.

Grupos de risco

  • Diabéticos

Descolamento de vítreo posterior

O que é?

Dentro do olho se encontra um gel espesso, conhecido como vítreo. É ele que mantém a retina presa às estruturas intraoculares e pode acontecer deste gel se separar da retina por conta do envelhecimento. Um dos sinais mais comuns do descolamento de vítreo são as chamadas moscas volantes, ou seja, a percepção de pequenas manchas dentro do campo de visão.

Causas

  • Ferimento no olho ou na cabeça;
  • Miopia;
  • Doenças oculares;
  • Diabetes

Tratamento

Acompanhamento clínico.

Prevenção

De forma geral, não há prevenção para o descolamento de vítreo, mas sempre que houver sinais de moscas volantes é importante que busque orientações do oftalmologista para uma avaliação e exames de rotina. Além disso, proteger os olhos sempre que há risco de impacto também contribui para a prevenção – por exemplo, durante a prática de exercícios físicos em que possa ser golpeado nos olhos.

Fatores de risco

  • Pessoas a partir dos 40 anos de idade ou mais;
  • Pessoas que apresentem miopia extrema.

Visite regularmente seu oftalmologista

Precisa de oftalmologista?

Encontre um médico aqui.

Teste de Amsler

Faça a auto avaliação da mácula.

Clique aqui

Médicos

Acesse aqui o Portal Oftalmo.

Clique aqui
Apoios